terça-feira, 27 de julho de 2010

Tema 6: Cursos Saturados



Bom, falaremos hoje sobre a grande quantidade de cursos saturados no mercado de trabalho, como por exemplo, podemos citar: direito, odontologia, jornalismo...
Nós adolescentes, passamos muito tempo pensando qual profissão seguir, e quando finalmente chegamos a uma conclusão e estamos felizes por essa decisão, acaba chegando alguém para acabar com sua convicção, com aquelas “belas frases”: “Mas já tem muita gente nessa área? Você vai acabar se formando e ficar sem emprego”, ou ”Esse curso não terá boa remuneração, e aonde você vai procurar emprego, hein?”. E sua cabeça vai ficando cheia de “minhocas”, e suas certezas vão por água abaixo.
Sim, concordo que temos que pensar em tudo isso, mas também temos que levar em conta a nossa vocação. O mercado de trabalho pode realmente estar saturado na profissão que você pretende seguir, mas se você exercer sua profissão da melhor maneira possível vai acabar se destacando entre os outros, e conseguirá as melhores vagas.
E também temos que levar em consideração várias outras coisas, como a especialização que pretende fazer no seu curso, isto poderá lhe ajudar muito. Um bom networking, que nada mais é que ter uma boa rede de contatos, onde essas pessoas poderão lhe dar uma maior possibilidade de conseguir uma boa colocação profissional, com certeza também lhe facilitará muito na hora de conseguir um bom emprego.
Pra resumir, você tem que ser a “cereja do bolo”, a “salada e o bife” do prato de feijão com arroz. Entendeu agora?
O fato é que o mercado pode estar saturado em um lugar, na sua cidade ou estado, porém você pode muito bem buscar uma oportunidade em outro lugar. Sabemos que é difícil deixar quase uma vida pra trás, mas se você realmente quiser seguir a profissão “X” que já está saturada onde você mora. Fazer o quê? Deixar a casa da mamãe e ir em busca de seus sonhos. Já ouviu falar que sem os sonhos a vida perde o sentido? Se você sonha, corra atrás da sua carreira profissional, se qualifique o máximo possível e quando você olhar pra trás vai ver que tudo valeu a pena e não terá que se lamentar por ser infeliz e ter um emprego que você não gosta.


Link's Interessantes sobre como fazer uma boa rede de contatos:
http://www.wellnessclub.com.br/website/colunas_ler.php?canal=31&canallocal=102&canalsub2=345&id=834

http://www.administradores.com.br/informe-se/cotidiano/confira-14-dicas-para-construir-um-networking-adequado/34164/

Link's oferecidos pela equipe do Desafio do Conhecimento.

Link de um vídeo interessante que fala sobre a construção de uma marca (o vídeo é bem chatinho, mas é muito interessante), achamos que a contrução da marca também se aplica na construção de um "nome" reconhecido, ser famoso por sua profissão, entende?
Como Luiz Carlos Prates, ou Fátima Bernardes, quando ouvimos falar de seus nomes, logo associamos a suas profissões, de comentarista e jornalista.
Aí vai o link:http://www.youtube.com/watch?v=MmlKRAIhnIM
Equipe Epitáfio =*

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Tema 5:

Bom, aqui a pacata cidade de Canoinhas, Janaína e Jairo, integrantes da equipe, moram em um bairro industrial da cidade chamado "Cohab-1"(tem umas três indústrias grandes e mais um montão de pequenas). Digamos que aqui o quadro de empregos é um pouco diferente, faltam trabalhadores para as indústrias, e não sobram vagas.
Então Vamos lá Tema cinco!
A sobra de vagas, por falta de profissionais se deve ao fato de que as pessoas qualificadas buscam outras cidades para exercer sua profissão. Isso se denomina "fuga de cérebros"(nomezinho engraçado não?). Bom, o que seria fuga de cérebros exatamente?
É a emigração dos profissionais formados(qualificados) para outras cidades, estados ou países(lembrando que isso acontece em grande escala no Brasil)que estão em busca de melhor reconhecimento, remuneração e por aí vai.
Os segmentos da indústria que consideramos mais interessantes são:
Indústria têxtil(afinal todo mundo usa roupas não é mesmo?)
Indústria alimentícia(todo mundo precisa comer, FATO).
Indústria moveleira e Agroindústria.
Bom, a parte dos parênteses foi só uma piadinha para descontrair. O verdadeiro motivo para que consideremos esses segmentos da indústria interessantes é o fato de estarem em expansão e também serem"ponto forte"de Santa catarina. Vamos citar exemplos de grandes empresas que se destacam na exportação e por serem marcas já bastante conhecidas.
- A empresa Hering de Blumenau(a primeira indústria têxtil de Santa Catarina) e também a pioneira nas exportações.
http://www.hering.com.br

- A empresa Brasil Foods (união das empresas Perdigão e Sadia) sediada na cidade de Itajaí
http://pt.wikipedia.org/wiki/Brasil_Foods_S.A

- Grupo Rudnick de São bento do Sul, empresa do ramo moveleiro.
http://www.rudnick.com.br/novo/index.php

Links interessantes:

http://www.cni.org.br/portal/data/pages/FF808081239C151201239F3211D766CE.htm

http://www.weg.net/br/Media-Center/WEG-na-Imprensa/Diversos/Santa-Catarina-tem-46-empresas-entre-as-mil-maiores-do-Pais-segundo-a-Exame

Equipe epitáfio =*

terça-feira, 13 de julho de 2010

Tema 4: A diversidade de cursos + diversidade de instituições de ensino.















Hoje a diversidade é muito grande, tanto de cursos oferecidos, como de instituições educacionais. Há as privadas, as federais, estaduais (públicas) e as que os cursos são ministrados a distância.

Em todas quase tudo é basicamente igual. Nas públicas o governo dá subsídios para os estudantes, como exemplo podemos citar o PROUNI. Nas privadas o aluno deve pagar uma mensalidade de valor X que varia de acordo com o curso, mas também há descontos e bolsas, tanto por nota obtida no VESTIBULAR, como por condição financeira desfavorável. Nas faculdades à distância os estudantes também pagam uma mensalidade, a diferença é no material utilizado e os professores não estão sempre presentes. As aulas são ministradas a distância, o material pode ser em vídeo, pela internet e também há materiais disponibilizados em forma de MP3, além dos livros e apostilas, é claro. O valor total dos cursos também normalmente é menor se comparados com os de instituições privadas em que as aulas são totalmente presenciais.

Também há diferenças na forma de seleção e na média que se deve obter para poder ingressar no ensino superior. Nas particulares normalmente se torna mais fácil, uma vez que você estará pagando pelos serviços oferecidos pela mesma (mas nem tão fácil assim!). Nas públicas, torna-se mais complicado, pois as vagas são muito disputadas, a quantidade de pessoas que participam da seleção é bem maior. Você tem realmente que se dedicar muito e principalmente estudar pra valer.

Bom, se você não é do tipo estudioso (e eu espero que este não seja seu caso), é bom você ter um trabalho garantido, ou então, que você seja um(a) bom menino(a) para que papai e mamãe ajudem na mensalidade da faculdade. Ou então é melhor você enfiar a cara nos livros, porque realmente para conseguir uma vaga nas instituições públicas é preciso merecer. Afinal um bom curso de ensino superior poderá ser a garantia de um futuro brilhante.

video




terça-feira, 6 de julho de 2010

Tema 03: Qual a importância de um curso superior?


Estamos mais uma vez aqui, e agora para discutirmos a importância do curso superior. Bom, o curso superior é o nível mais elevado do sistema educacional.
É realizado após o termino do ensino secundário (ensino médio), aonde o estudante se preparará para exercer a profissão escolhida, mais aí talvez esteja um dos maiores problemas, em qual curso superior ingressar?
Podemos procurar por um teste vocacional, para tentar optar por um deles.
Os cursos oferecidos são muitos em diversas áreas. O grande dilema é Curso superior ou técnico? Bom, o curso superior (faculdade), hoje é indispensável para um emprego com um bom salário o curso técnico proporciona uma rápida entrada no mercado de trabalho, porém o salário normalmente é inferior (claro que há sim exceções, dependendo da área).
Como já citamos no primeiro post, o mercado de trabalho está cada vez mais rigoroso com seus critérios de avaliação. E como todos nós já sabemos um cursinho básico de informática e o domínio de mais de um idioma deixou de ser o “algo a mais” no trabalhador para se tornar indispensável e, uma saída é o curso superior e depois é possível fazer uma pós-graduação e também até um doutorado.
Os investimentos neste tipo de curso é mais alto do que para o curso técnico, porém as pessoas formadas tem retorno financeiro no futuro. Um profissional com um curso superior é bem remunerado.
As facilidades de se fazer uma faculdade também são muitas, bolsas, tanto da própria faculdade como do governo ou PROUNI é um exemplo disso. Também as faculdades a distancia que chegam até lugares de difícil acesso e faz uso da tecnologia a seu favor.
Então no final do ano é só caprichar no ENEM, tentar um vestibular e... Se esforçar bastante! Ah mais antes, a gente tem que decidir o curso que vai fazer né!? Aí é que esta a parte difícil.
Equipe Epitáfio.